terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

As Identidades do Metodismo


Vivemos, no tempo presente, uma grave crise de identidade. Pessoas, famílias, povos e nações estão desvinculados de sua "matriz" – sua raiz e sua identidade. Isso ocorre em todos os aspectos e áreas da vida.No contexto religioso, a perda da identidade tem sido algo significadamente marcado por multiplicidade de sinais e práticas. Grande parte do que vemos são cópias, na maioria mal feitas.

João Wesley procurou deixar claro os fundamentos da identidade do movimento metodista. Muitos de seus sermões apresentam marcas indeléveis. Há textos que buscam caracterizar os aspectos básicos daquele que se diz metodista.

Creio que o povo chamado metodista recebeu de Deus uma vocação específica junto ao Corpo de Cristo e da História. Somos chamados a permanecer firmes no caminho da vocação para a qual Deus nos chamou.
No afã de marcar presença, crescer de qualquer forma, além de perder nossa identidade temos "imitado", muito mal, as tendências do povo chamado evangélico, deixando de lado a consciência de nossa vocação e de nossos valores. Valores esses fundamentados na Palavra de Deus, na tradição histórica Wesleyana e seus fundamentos.

Sem me aprofundar em todas as características da identidade, sinalizo as que considero fundamentais. Recordo o posicionamento de nossa Igreja, tal como no Concílio Geral de 1982 quando foi aprovado o que chamamos de Elementos fundamentais da identidade e unidade metodista.

• Somos um povo cuja fé e prática fundamenta-se na Palavra de Deus. Aceitamos os fundamentos de fé enunciados no Credo Apostólico e nos 25 artigos de religião, enfatizados por João Wesley. À luz da Bíblia, refletimos e avaliamos a experiência cristã, a revelação da natureza e a tradição histórica da Igreja.

• A experiência pessoal com Cristo é marca fundamental de nossa fé. Ela é uma experiência dinâmica, contínua e pessoal, não individualista, conferida à luz da palavra e da comunidade de fé.

• O testemunho interno do Espírito Santo testifica em nosso interior que somos filhos de Deus. Cremos na nossa filiação divina, em nossa adoção em Cristo. A presença e o poder do Espírito Santo são fundamentais para nós metodistas. Buscamos, antes de tudo, o caráter do Espírito, do que o poder de Deus.

• É nossa marca uma vida disciplinada, nutrida pela palavra, tanto no âmbito individual como comunitário, expresso na vida de piedade, intimidade para com Deus por meio da palavra, da oração, do jejum, da vigília, dos meios de graça, vivenciados na comunidade da fé. Buscamos o caminho da santificação fundamentada em Cristo: santificação pessoal e social. Nesse sentido é fundamental ter, junto à piedade, uma vida fundada em obras de misericórdia.

• Paixão evangelizadora. Wesley vivenciou seu grande amor por Deus e pelo próximo por meio do anúncio do Evangelho. Havia nele uma paixão em testemunhar o extraordinário amor de Deus.

• Compromisso com o bem-estar total da pessoa: espiritual, física, psicológica e social. Esse compromisso é uma decorrência da experiência pessoal da salvação com Cristo e uma expressão da santificação. Significa um contínuo crescimento na graça e no amor de Deus e na relação de amor com o próximo.

• Sacerdócio Universal de todos os crentes. Reconhecemos e enfatizamos o fato de que todo metodista, todo o povo de Deus é chamado a desempenhar os seus dons e ministérios junto da sociedade e da comunidade da fé. Isso significa dar relevância ao que chamamos laicato.

• É básico no metodismo viver não só para si mesmo, mas para Cristo, para o próximo, para o reino e Missão. Temos chamado de conexional a forma de expressar a nossa fé. Cremos que Deus é conexional, pois não vive para si mesmo, mas acolhe, partilha, comunga, oferece aquilo que é e tem para o ser e toda a humanidade.

• Somos Igreja do Senhor, corpo de Cristo, parte da Igreja Universal do Senhor Jesus Cristo. Isso significa que não somos os únicos, mas reconhecemos o nosso lugar no Corpo da Igreja e também reconhecemos o lugar e a missão de outras comunidades cristãs. Nesse sentido, buscamos a comunhão, o diálogo e a cooperação, fundamentados no desejo do Senhor Jesus, em manifestar a unidade do Corpo como testemunho para o mundo. Desse testemunho dependerá a percepção e aceitação da fé. O fundamento básico da fé denominada metodista é a Graça de Deus. O metodismo enfatiza a experiência e a vivência da graça divina por meio da fé receptiva. A graça que nos sensibiliza a fé (preveniente), a graça que nos acolhe em Cristo (justificadora), a graça que nos aperfeiçoa continuamente (santificadora) é uma graça pessoal, não personalista, e comunitária na expressão do amor a Deus, ao seu Reino e ao próximo.

• Como Igreja, somos um Corpo, um organismo vivo, no Espírito. Uma comunidade que adora, crê, cresce, testifica, ama, serve e é terapêutica, semelhante ao que foi e testifica a comunidade apostólica.

• Uma das marcas significativas do metodismo histórico foi a prática da fé. O metodismo é, antes de tudo, um cristianismo prático. Uma vida que leva a sério o comportamento ético. Essa prática é confrontada e confirmada pela Palavra de Deus, tradição, experiência cristã, razão, natureza e comunidade da Igreja. O elemento básico para a constatação e a confirmação dessa vivência é a Palavra de Deus.

• Uma marca característica do metodismo é o equilíbrio. Uma fé em equilíbrio, sem cair nos modismos e nos extremismos dos movimentos e tendências dos tempos passados e do nosso tempo. Equilíbrio entre doutrina e prática; fé e obras, ciência e fé, razão e revelação; lei e graça, santificação pessoal e social, experiência pessoal e santificação; emoção e mente; adoração e compromisso; evangelização e serviço, unidade, diversidade e mutualidade; salvação pessoal e social, liberdade e moral; ética e disciplina; louvor e proclamação da palavra; anúncio e denúncia; Espírito Santo e resposta humana; viver no presente século e expressão da fé escatológica.

Amados irmãos e irmãs, poderíamos continuar a sinalizar alguns aspectos de nossa identidade. Wesley dizia que o metodista é caracterizado por um contínuo sentimento de gratidão; em tudo ele dá graças. Também dizia: pregar a doutrina, a prática e a disciplina evita o legalismo, o individualismo, o formalismo e o emocionalismo. Onde prevaleceu o equilíbrio foi onde mais frutificou a graça.

Que a graça do Senhor e a ação do Espírito nos ajudem, no contexto da religiosidade do hoje, tão confuso, místico e mágico, a vivenciar e testificar a respeito dos fundamentos básicos de nossa fé wes1eyna, não perdendo a nossa identidade fundamental e testificando-a junto da comunidade cristã e social.

Bispo Nelson Luiz Campos Leite

0 comentários:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz! Comente aqui!

 

Reflexões pastorais Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template